[ Questões Complexas, Explicações Simples ? ]

Será que vivemos um momento de explicações fáceis para questões complexas?

Nesses tempos de internet, uma das coisas, das muitas coisas, diga-se de passagem, que chamam demais a minha atenção são as inúmeras tentativas de resumir questões complexas, muitas vezes altamente complexas, com inúmeras variáveis e desdobramentos e nada linear, a textos de poucas linhas, poucos parágrafos.

Aí, meus caros, haja superficialidade nas análises e haja manadas e mais manadas de ávidos por uma explicação fácil que não exija muito esforço intelectual seguindo coisas sem muito aprofundamento e acreditando piamente que aquele resumo da questão complexa explica tudo e que a verdade está ali e pronto, está tudo devidamente explicado!

Como seria bom se as questões complexas de nosso tempo igualmente complexo pudessem mesmo serem explicadas em poucas linhas, em 140 caracteres ou mesmo em gráficos extremamente simplórios!

Portanto, meus caros, vamos ter um pouco mais de ceticismo para com esses resumos que vivem aparecendo por aqui prometendo lhe explicar de maneira simples e resumida tantas questões que só através de muito estudo é que se poderá chegar a alguma conclusão no mínimo racional e menos passional!

​[ Os Pequenos Conflitos Nossos de Cada Dia ]

Ontem, dia 21, o prefeito de Sobral esteve sendo entrevistado em um programa de rádio local. 

Não cheguei a ouvir toda a entrevista mas o pouco que ouvi achei interessante. 

Teve uma informação passada pelo gestor municipal que muito chamou a  minha atenção. Segundo o prefeito, a maioria dos chamados recebidos pelo CIOPS se refere a queixas de som alto, perturbação da paz, como preferem alguns.

Essa informação me levou a um pensamento: caso o prefeito não esteja equivocado, essa informação demonstra o quanto ainda somos incapazes de solucionar pequenos conflitos sem a necessidade de intervenção estatal.

Há algum tempo li uma entrevista onde era dito que nós brasileiros temos uma tendência grande a judicializar tudo em quanto. Ou seja, há muitos conflitos na Justiça que poderiam muito bem ser resolvidos através de um simples acordo sem a necessidade de intervenção do Poder Judiciário.

Nesse semestre mesmo comentei isso com um colega professor que também é advogado e ele acabou confirmando isso.

Enfim, se ainda precisamos da polícia para exigir que meu vizinho baixe o som alto que me incomoda é sinal de que ainda temos um longo caminho a ser percorrido até nos tornarmos uma sociedade mais civilizada.

​[  A angústia do professor de Metafísica ]

E aquele professor de Metafísica vivia angustiado porque a maioria dos seus alunos não conseguia compreender os textos que ele passava em sala de aula para serem discutidos e resenhados. 

Até que um dia esse professor de Metafísica fez uma conta no Facebook e viu que seus alunos sequer conseguiam identificar o ponto central do assunto de inúmeros posts no Facebook. 

Daquele dia em diante o professor de Metafísica não mais se agustiou com a dificuldade de compreensão dos seus alunos para com os textos em sala de aula.

[ Feynman: Dúvidas & Incertezas ]

“Entende, uma coisa é: posso conviver com a dúvida e a incerteza, posso não saber. Acho que é muito mais interessante viver sem saber do que ter respostas que podem estar erradas”.

“Não tenho medo de não saber as coisas, de me perder num universo misterioso sem ter nenhum propósito, que é como as coisas realmente são, até onde posso dizer. Isso não me assusta”.

Trechos do livro “Os melhores textos de Richard P. Feynman

[ Paradoxal ]

É paradoxal ver pessoas se valendo de agressões para se colocar contra as agressões feitas por outros!

Ou melhor, estão sendo agressivos para reclamar de outros agressivos!

No final das contas, sobram agressões e falta racionalidade!!

Ou será que para estes paradoxais, agressivo é somente o comportamento do outro?!

Não sei se é falta de autocrítica ou é mesmo desonestidade intelectual…