[ O ano de nascimento do Brasil ]

É comum ler aqui no Facebook e fora dele ouvir muitos dizerem que o Brasil, o nosso país, começou em 1500 quando Cabral foi encontrado pelos índios, perdido, achando que estava – segundo as fontes oficiais – indo para as Índias!!!

Porém, de uns tempos pra cá passei a rever, pelo menos para mim mesmo, sem nenhuma pretensão de querer mudar a opinião de ninguém ou mesmo os entendimentos históricos, que o nascimento da nossa nação se deu mesmo a partir de 1822, ano em que foi proclamada a nossa independência!!!

E por que passei a pensar assim???

Simples, até 1822 o Brasil não existia enquanto país. Era mais uma das colônias portuguesas. Mas a partir de 1822 a nação brasileira deixava de ser uma colônia portuguesa.

Tá certo que nascíamos como país meio que de forma um tanto torta (ou seria à fórceps??!!), já que ao contrário de muitos outros países que quando se declararam independentes já se tornaram repúblicas, ou seja, nós aqui ainda ficamos sendo reinado até 1889.

Assim, esse meu pensamento reforça a ideia de que somos mesmo uma nação jovem, que ainda temos muita história ainda para ser construída. E isso também serviu para me dar um certo consolo quando vejo muitos altamente indignados com as coisas ruins que acontecem por aqui e que muito nos envergonham. Calma pessoal, ainda somos uma nação jovem!!!! Não temos sequer 200 anos de história!!

Também já me conformei que até partir desta existência (segundo o IBGE deverei fazer isso com pouco mais de 75 anos!!!) ainda irei me escandalizar muito com as coisas que acontecem com toda e qualquer jovem nação em processo de crescimento e amadurecimento!!!

😉

Anúncios

[ O Fim de Semana do Ano ]

Dezembro é como se fosse o fim de semana do ano, né?!

É interessante notar que nesse mês o povo, de uma maneira bem geral, fica mais amável, mais carinhoso e caridoso, enfim, há um espírito de fraternidade e amor entre a humanidade!

E depois de dezembro… Tudo volta a ser como antes!!

Ah… Em dezembro também são feitos os balanços pessoais: o que se fez e que se deixou de fazer, os projetos que não saíram do papel, as dietas que ficaram só na vontade, as viagens que ainda não aconteceram… E depois de feito o balanço joga-se para o ano que vem tudo aquilo que não foi realizado. E aí surgem os JKs dos planos pessoais: fazer 50 anos em 5!!!

O mais legal mesmo de dezembro é que a gente vai mesmo desacelerando! E particularmente no caso dos brasileiros, desaceleramos tanto que só voltamos ao ritmo normal depois do Carnaval!!!

Então, bem vindo ao mês do balanço existencial!!!! 😉

[ Leis do Facebook – O Critério de Verdade ]

Se uma notícia está de acordo com meu conjunto de crenças, combina com aquilo que penso então essa notícia é verdadeira e seu veículo de divulgação é sério e honesto. Caso contrário, se a notícia não combina com meu conjunto de crenças nem com aquilo que penso então essa notícia é mentirosa e seu veículo de divulgação não é serio e é desonesto.

😉

[ Grandes Problemas dos Anos 10 do Século XXI ]

Os administradores da vida alheia.

Os administradores da vida alheia acreditam que podem conduzir a vida dos seus semelhantes sempre dizendo o que estes devem ou não fazer.

Os administradores da vida alheia creem que estão ajudando seus semelhantes impedindo que estes venham a errar. Esquecem que quando erramos podemos ter uma grande oportunidade de aprendizado.

Os administradores da vida alheia consideram-se superiores moral e intelectualmente aos seus administrados. Esse sentimento faz com que os administradores da vida alheia se considerem autoridades que possuem poder sobre seus administrados.

Os administradores da vida alheia possuem uma forte crença que estão ajudando o mundo a ser um lugar melhor.

Seria tão melhor se os administradores da vida alheia deixassem que os demais tocassem suas vidas de acordo com seus desejos.

Seria tão melhor se os administradores da vida alheia entendessem que se eles não gostam de algo é só não fazer esse algo, se não gostam de um lugar é só não ir lá, se não gostam de uma música é só não ouví-la, enfim, evitar fazer aquilo que não gosta e deixar em paz quem gosta.

[ O Mundo da Imaginação ]

A imaginação é infinitamente maior que a realidade.

As frustrações começam quando tentamos encaixar no mundo real o mundo imaginário que criamos.

As frustrações se tornam maiores a partir do momento que nos damos conta de que no mundo da Imaginação TUDO está sob nosso controle ao passo que no mundo real pouca coisa podemos de fato controlar.

As frustrações ganham novas dimensões tão logo compreendemos que a teoria que criamos no mundo da imaginação só funciona do jeito que queremos lá.

As frustrações se tornam massacrantes assim que entendemos que não é possivel viver somente no mundo da imaginação.

É preciso deixar o mundo da imaginação e partir para a ação. Somente a ação é capaz de transformar em realidade aquilo que foi imaginado. Somente a ação é capaz de demonstrar a teoria. Teoria sem demonstração pode até ser bonita. Mas teoria bonita que não funciona no mundo real é inútil.

[ Conceitos Difíceis de Serem Compreendidos: público e privado ]

Aquilo que é público pertence a todos. Concordam?!

Se pertence a TODOS não pode pertencer a apenas uma pessoa ou a um grupo sob pena desse bem não pertencer mais à categoria de bem público e passar a categoria de bem PRIVADO, uma vez que pertence a uma pessoa ou grupo. Concordam?!

O TODOS é uma abstração. Não é possível dar uma cara ao TODOS. Não é possível dizer quem é o TODOS. Se identificarmos o TODOS com alguém ou algo também corre-se o risco de o TODOS perder a universalidade que lhe permeia e passar a ser PARTE, ou PARTICULAR.

Então, por que será que é tão difícil compreender que se um bem é público ele pertence TODOS e não pertence a NINGUÉM em particular!?

[ O Esporte Mais Praticado ]

As redes sociais trouxeram à tona, ou melhor, deixaram mais evidente ainda, uma prática muito comum da espécie humana. Esta prática, creio eu, deve ser milenar. Estou falando do ato de se importar com a vida alheia, com o que o outro faz ou deixa de fazer.

Hoje em dia os cidadãos da ZuckerNet, o mundo facebookeano, gastam uma boa parcela do seu tempo dedicando-se a esta prática ancestral.

Importam-se se alguém muda a foto do perfil para demonstrar apoio a uma causa.

Importam-se se alguém não muda a foto do perfil para demonstrar apoio a uma causa.

Importam-se se alguém demonstra estar muito sensibilizado por conta de um acontecimento.

Importam-se se alguém não demonstra estar muito sensibilizado por conta de um acontecimento.

Importam-se se alguém diz que gosta de um determinado músico.

Importam-se se alguém diz que não gosta de um determinado músico.

Importam-se se alguém demonstra simpatia por determinada ideologia político-partidária.

Importam-se se alguém demonstra não gostar de determinada ideologia político-partidária.

A lista tende ao infinito.

Talvez seja um efeito colateral da grande liberdade de expressão que as redes sociais nos proporcionam. As pessoas querem demonstrar que se importam com alguma coisa.

E a expressão importar-se com algo tem uma ligação com a palavra importante. Logo, deduzo que se alguém se importa com algo é porque esse algo lhe é importante. Se não fosse não se importaria!

Enfim, vivemos a nos importar tanto que até escrevemos textos nos importando com o fato de muitos se importarem com tudo em quanto!!!! 😉

Não seria mais fácil e saudável do ponto de vista social se nos importássemos menos com o que os outros fazem ou deixam de fazer e cuidássemos mais de nossa própria vidinha??!! 😉