[ Análises versus Desejos ]

É uma tarefa bem difícil separar nossos desejos de nossa análises.

Muitas vezes, numa análise dos fatos do cotidiano, ao invés de tentarmos enxergar aquilo que não está óbvio, que está mesmo escondido nas entrelinhas, ficamos a procurar por aquilo que queremos ver. É quando desejos se confundem com análises.

O grande mal desse procedimento é a análise corre sério risco de ficar enviesada, contaminada por aquilo que desejamos encontrar o que pode nos levar a ignorar qualquer evidência em contrário. Ou seja, se me deparo com uma evidência que não vai de encontro ao meu desejo, já a descarto.

Superar o desejo de encontrar nos dados e análises aquilo que entendo como sendo o ideal de realidade é um desafio grande pois isso acaba mexendo com nossas crenças, com aquilo que acreditamos ser a realidade. É quando “Narciso acha feio o que não é espelho”.

Em muitas ocasiões, fazemos nossas análises doa fatos cotidianos apenas para validar nossas crenças. E quando não encontramos essa validações tendemos a acreditar que há algo de errado com a realidade pois ela não está condizendo com o que entendemos ser o real. E aí, haja ficarmos frustrados, choramingando porque o Universo não está nem aí pra nossos desejos.

😉

[ 2019.2 – E Lá Vamos Nós! ]

O semestre letivo da Universidade Estadual Vale do Acaraú começa neste dia 16 de setembro de 2019 da E.C.

Já faz um bom tempo que dou aulas para o pessoal do 1o Semestre do Curso de Ciência da Computação. Particularmente acho um grande barato trabalhar com os jóvens padawans.

A novidade neste semestre que começa é que irei trabalhar também com o pessoal do 1o semestre do Curso de Engenharia Civil na disciplina Programação de Computadores.

De uns tempos pra cá, em especial depois que passei dos quarenta anos, uma sensação engraçada toma conta de mim a cada início do semestre. É a impressão de que eu estou envelhecendo mas meus alunos não!!!! rsrsrsrs

Explicando… A cada semestre trabalho com turmas que tem em média 17 ou 18 anos, idade que em geral eles estão ingressando no ensino superior.
😉

[ Os Fanáticos Atrapalham ]

Dificilmente alguma causa, movimento ou bandeira não atrairá fanáticos para suas fileiras. Não necessariamente os fanáticos vem de fora. Muitas vezes eles são gestados dentro da movimento.

Quando o número de fanáticos e afins fica muito grande, passando a chamar mais atenção que a causa, movimento ou baneira em si, é que os mais equilibrados abandoam o barco ou quem poderia contibuir melhor passa a tomar distância e se desinteressa e até mesmo sugere que outros nem se aproximem. E aí, o que antes poderia ser uma iniciativa interessante e bacana vai sendo destruída por dentro.

Fazer com que a causa, bandeira ou movimento não sejam automaticamente identificados com os fanáticos que existem nela talvez seja o maior desafio dos que não se deixam contaminar com o fanatismo que muitas vezes surge.


[ Que Lógica é Essa? ]

Já são três meses que estamos diante de um governo que é completo, ou seja, ele tem sido situação e oposição a ele mesmo em N momentos.

Daí, poderíamos deduzir que fazer oposição a um governo assim tão atrapalhado seria a mais fácil das missões.

Porém, o que a realidade nos mostra?! Que diante de tamanha incompetência do Governo Federal, até agora não surgiu uma oposição inversamente competente como era de se esperar se tomarmos o parágrafo anterior como premissa verdadeira.

Seria então um patamar de incompetência maior ainda não conseguir ser boa oposição a um governo tão incompetente?!?

Oremos…

Segue o enterro…

[ Ingenuidade ou Muita Fé?? ]


Sempre me chamou a atenção as defesas apaixonadas que muitos fazem de diversos políticos ou homens públicos.

Chega a ser quase um credo!

Beira a devoção!!!

É comum ouvir e ler coisas do tipo:

“Não!!! Ele é incapaz de fazer isso!”

“Ele é muito honesto! Jamais em hipótese alguma procederia dessa maneira!!”

E a melhor de todas:

“Eu ponho a minha mão no fogo por ele!!! Ele jamais estaria envolvido em coisas dessa natureza! É um homem de bem!!!”

Por isso que abro esse post indagando: ingenuidade ou muita fé?!

P.S.: as frases entre aspas estão no masculino mas podem se referir tanto a homens quanto a mulheres. É bom avisar antes que a moçada que enxerga o que não está escrito começar a bradar!!!

[ Reflexões Matemáticas – O Conjunto Vazio e o seu Conteúdo ]

O conjunto vazio é aquele que não possui conteúdo. Certo?! Errado!!! O conteúdo do conjunto vazio é o vazio!! Ideiazinha complicada de se aceitar, né?!?!

Como pode?! O vazio é o nada!

Errado!! O vazio é algo! É o vazio!

Quanto retiramos todos os elementos de todo e qualquer conjunto só nos restará o vazio. Por isso que o conjunto vazio é subconjunto de todo e qualquer conjunto.

O vazio é Universal!

O vazio está em todo lugar! Basta retirar tudo que há em um lugar e sempre o que nos restará será o vazio!

O vazio está até em nossa mente. Limpe sua mente de qualquer pensamento. Só restará o vazio mental.

O vazio, como podemos observar, é o fim de tudo…

😉

[ Grandes Frustrações ]

O sujeito fica louco, com raiva de tudo e de todos, esbraveja, falta soltar raios pelos olhos de tanta ira somente porque aquela teoria que ele levou tanto tempo formulando não está sendo seguida à risca pela realidade.

Ele bate o pé e grita dizendo que a realidade nunca aprende, que ela insiste em não seguir a teoria que ele criou.

“A culpa é toda da realidade!!!! É ela que insiste em não me obedecer!!! Se ela tivesse seguido a minha teoria não estaríamos neste estado!!! Maldita realidade que não me obedece!!!”, diz o sujeito encolerizado e espumando de tanta raiva.

E assim o sujeito vai tocando sua vida sempre lastimando o fato da realidade nunca se adequar à sua teoria que ficou tão boa, tão perfeita, tão primorosa.

Maldita realidade…