[ Muita informação é sinônimo de muita qualidade de informação?! ]

Nunca na história da humanidade houve tanta informação à disposição!!

Mas mesmo assim a qualidade da informação ainda deixa muito a desejar. Apesar de haver acesso extremamente facilitado a esse oceano informacional há também uma tremenda dificuldade em separar a boa informação do ruído, isto é, da informação ruim, que mais atrapalha e desinforma.

E quando se tem muita informação há uma tendência natural em escolhermos, selecionarmos aquelas que mais nos agradem. E é aí que os “fazedores” de informação de qualidade duvidosa passam a atuar com toda força. E quem consome essa informação de qualidade duvidosa nem mesmo se dá conta disso. Afinal de contas está satisfeito com ela. E ao mesmo tempo deixa de lado toda e qualquer informação que não lhe agrade.

E para piorar mais ainda o quadro é comum desclassificar, colocar em xeque a credibilidade daqueles que divulgam informação que não agrada. É aquela famosa máxima: “Se não pode destruir a mensagem mate o mensageiro!”

Enfim, estamos cada vez mais intoxicados com tanta informação de baixa qualidade e até já começamos a perder a capacidade de separar o joio do trigo nesse segmento!!

P.S.: publiquei este texto em minha página no Facebook em 2014.

[ Não alimentemos… ]

Não alimentemos os boatos!!!! Quanto mais alimentados os boatos mais eles crescem!!! São criaturas que se reproduzem com muita facilidade, ainda mais quando bem alimentados!!!!

Não alimentemos o ódio!!! Essa é outra criatura que quanto mais alimentada mais ela cresce!!! Existem várias espécies de ódio: ódio entre classes sociais, ódio entre raças, ódio entre religiões, enfim, são muitas. O mais importante é não alimentar!!!! Assim como os boatos, o ódio também tem uma incrível capacidade de se reproduzir!!! E o pior, o ódio tem capacidade de reprodução entre espécies, gerando mutações abomináveis!!!!

Muitos de nós estão alimentando essas criaturas que citei acima e nem se dão conta!!! A cada compartilhamento de boato ou de coisas que incitem o ódio você está contribuindo para sua alimentação!!!

Não sejamos alimentadores de boatos e de ódios!!!!

😉

[ Por que Amamos o Facebook? ]

1. Nele nosso ego vive sendo massageado.

2. Se dizemos que estamos tristes em pouco tempo surgem inúmeras mensagens para melhorar nosso astral. Conforto psicológico não falta.

3. Quando xingarmos alguém não faltarão pessoas que desejavam fazer o mesmo e estas juntam-se a nós num imenso coro de xingadores.

4. Quando reclamamos de algo sempre surge uma legião de reclamadores com a mesma queixa. Assim nossa sensação de pertencimento a um grupo cresce mais ainda.

5. Por mais insana, sem noção e louca que seja uma ideia que defendemos haverá pelo menos uma pessoa, na pior das hipóteses, que concordará conosco e dessa forma não nos sentimos sós, pregando no deserto.

6. Há soluções para praticamente todos os problemas. Com uma quantidade imensa de especialistas em tudo em quanto dificilmente um problema fica sem solução no Facebook.

7. Há certezas sem fim no Facebook. Nossas certezas geralmente encontram muitos outros que compartilham as mesmas. E quanto mais gente tiver as mesmas certezas mais convencidos ficamos de que estamos certos ou do tal lado certo da história.

8. Quando estamos nos sentindo carentes e sem a atenção dos demais, basta postar algo polêmico no Facebook que em dois tempos somos notados, seja por quem concorda com a nossa opinião polêmica seja por quem é contra. Afinal de contas, “Posto, logo existo!”.

9. É no Facebook que nos damos conta do quanto somos bons, politizados, esclarecidos, atualizados, cultos, não alienados, dentre tantos outros adjetivos elogiosos. Quando nos damos conta disso sempre lembramos dos versos da canção que diz: “É que Narciso acha feio o que não é espelho”.

É por essas e outras que não somente o Facebook mas muitas outras redes sociais são tão amadas por nós.

😉

[ A Treta Inútil de Sempre ]

É fato: toda vez que o assunto nazismo vem à tona surge alguém pra dizer que o nazismo é “de esquerda” ou alguém que afirma que o nazismo é “de direita”.

Vamos e venhamos, isso acaba reduzindo perigosamente a questão do nazismo.

Mas essa atitude é bem típica do comportamento clubista que reina entre nós há tempos.

O pior desse comportamento clubista é que as torcidas acreditam que são detentoras do monopólio das virtudes e que quem não faz parte do seu clube é dono do monopólio da maldade.

Porém é preciso ter consciência de que não há entre grupos humanos quem seja detentor desse monopólio das virtudes.

Em suma, regimes de esquerda foram responsáveis por atrocidades assim como regimes de direita também foram. Não há santos e puros nessa história.

Seria muito mais proveitoso que deixássemos essa discussão boba de lado e nos conscientizássemos de que o nazismo foi algo abominável e que jamais deveria voltar a existir.

[ Index Prohibitorum do Mundo da Internet ]

“O Index Librorum Prohibitorum, em tradução livre o Índice dos Livros Proibidos, foi uma lista de publicações proibidas pela Igreja Católica. Obras eram incluídas na lista caso contivessem teorias que a Igreja Católica Apostólica Romana não apoiava”. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Index_Librorum_Prohibitorum

Interessante que de uns tempo pra cá, seja aqui no Mundo Facebookeano, em outras redes sociais ou até mesmo nos grupos do zapzap vira e mexe pinta alguma lista que visa proibir algo aos demais.

Ora são jornais e revistas que não devem ser lidos pois não estão de acordo com o pensamento de quem elaborou a lista. Ora são bandas, cantores e afins que não devem ser ouvidos porque fizeram algo que não está classificado como correto na visão de quem elaborou a lista. Ora são trabalhos de algum artista que não devem ser vistos pois esse artista falou algo que não está de acordo com a visão de mundo daquele que elaborou a lista.

Chego a ficar um tanto quanto preocupado quando vejo a Internet se transformando num verdadeiro celeiro de Index Prohibitorum.

A meu ver essas listas são um tanto quanto autoritárias pois quem deve decidir o que ler, o que ouvir ou o que ver, deve ser o indivíduo e não alguém ou algum grupo que se acha no direito de decidir pelos outros.

Será mesmo que os autoritários não se enxergam como tais!?

[ Pensamentos inconscientes, ou não, que surgem no Dia dos Pais na ZuckerNet ]

Assim como no Dia das Mães e no Dia dos Namorados, o Dia dos Pais é um dia de descobertas no mundo facebookeano!!

E ao ver as fotos dos pais de muitos surgem, na mente de muitos e na minha, pensamentos que dificilmente serão revelados, tais como:

“Valhamecristo!!! Como o pai de Sicrano(a) é feio!!! E Sicrano(a) é tão bonito(a)… Será que ele é o pai mesmo??”

“Chagasabertascoracaoferido!!! O pai de Beltrano é muito novo!!! Aposto como a mãe de Beltrano casou grávida!!”

“Afemariatreisveis!! Fulano já tem essa ruma de filho???!!”

E por aí vão as descobertas do Dia dos Pais na ZuckerNet!!! 😉

[ Uma questão de escolha primeiramente ]

Certa vez vi um comentário de um amigo da ZuckerNet onde se lia: “escolhemos no que acreditar”.

A proposição é bastante simples e também, creio, não necessita de muito esforço intelectual para verificar a sua validade. Afinal de contas, para crer em algo é preciso antes de mais nada fazer uma escolha.

Essa proposição nos leva a uns questionamentos: o que pauta a nossa escolha?! Por que escolhemos acreditar em umas coisas e não acreditar em outras?!