[ Meu Olhar que Flanou por Minas – 11.01.2019 ]

E nosso périplo pelas Minas Gerais chegou ao fim…

No dia 10 de Janeiro retornamos para Belo Horizonte. Como esse dia foi praticamente apenas viajando e cuidando de check-in, rearrumação de mala e outras coisinhas, acabamos mesmo passando boa parte do tempo no hotel e só saímos a noite para conhecer um pouco da vida noturna de BH atendendo indicações de amigos residentes nessa cidade.

Pequeno parênteses… Essa nossa primeira ida à noite belo-horizontina foi no Jack Rock Bar! Vale muito a pena se você curte rock!!!

No dia seguinte partimos em direção a Lagoa da Pampulha para explorar melhor o lugar uma vez que nossa primeira ida foi em meio a uma chuvinha e ainda não havíamos alugado um possante.

Agora minhas considerações finais…

Minas Gerais é um país! Brincadeira!!! É um lugar de gente simpática, acolhedora e muito bacana! Por onde andamos nesses dias todos fomos muito bem recebidos. Nunca faltou um sorriso no rosto. Sempre houve muita gentileza por parte de todos aqueles que por algum motivo recorremos para pedir informações. Penso que o melhor de Minas não é sua história, sua cultura, igrejas, cidades históricas, sua culinária, mas sim a sua gente. Comentei em minha página no Facebook que o sotaque mais simpático que já ouvi em nosso país é o do mineiro. É praticamente impossível não se encantar com esse povo. Espero voltar outras vezes a Minas. Quem sabe para conhecer outras regiões. Como disse linhas acima, Minas é um país.

Deixo aqui registrado o meu carinho por todos os mineiros que foram super hiper mega bacanas conosco em nossa viagem!!

[ Meu Olhar que Flanou por Minas – 03.01.2019 ]

Ainda em Belo Horizonte, dedicamos o terceiro dia do ano para realizar um dos passeios que não pode faltar em nossas viagens: visita a museus.

Optamos por fazer um périplo pelos museus que estão no entorno da Praça da Liberdade. Havíamos antes visto alguns vídeos no YouTube falando sobre estes espaços e assim já saímos de casa com várias impressões em mente.

Nossa primeira parada foi no Memorial de Minas Gerais Vale. É um incrível espaço dedicado ao povo, a arte e a cultura do Estado de Minas Gerais. Em suas salas há vários recursos multimídia o que acaba fazendo a experiência de visitação do local mais interessante ainda. É um lugar para se visitar com calma.

Nosso segundo destino neste dia foi o Museu das Minas e do Metal. Outro local bastante enriquecedor e que proporciona aos visitantes inúmeras atividades interativas.

Enquanto nos dirigíamos para a Casa Fiat de Cultura (este já não é no entorno da Praça da Liberdade, mas é pertinho, dá para ir caminhando e cantando…) encontramos no meio do caminho, não uma pedra, mas a sede do Minas Tênis Clube e para nossa grata surpresa, em seu espaço cultural havia uma exposição “Litografia – Lotus Lobo“. Após visitar a exposição e fazer uma pequena pausa para o lanche da tarde, seguimos ao nosso destino. E lá encontramos o Presépio Colaborativo, que valeu demais ver.

[ Meu Olhar que Flanou por Minas – 01.01.2019 ]

O dia 1o de Janeiro dedicamos a um pequeno passeio de bike por algumas ruas de BH.

Estava ótimo para isso. A cidade ainda dormia ou realmente não havia muita gente nela.

Pegamos duas bikes numa estação de bicicletas compartilhadas e saímos a pedalar pelas ruas e ladeiras de BH. Sim, pessoal, BH tem muuuuuuitas e muuuuuitas ladeiras. Umas bem generosas!!! Mas, nada que uma boa bike com marcha não resolva.

Nosso passeio findou no Parque Municipal Américo Renné Giannetti. Uma excelente área de lazer, um parque imenso, onde é possível fazer caminhadas, andar de bicicleta, fazer pic-nic ou somente ficar deitado na grama vendo as nuvens passar…

[ Meu Olhar que Flanou por Minas – 30.12.2018 ]

A última vez que estivemos em Minas Gerais foi em 2005. Visitamos apenas duas cidades, Ouro Preto e Mariana. Em Belo Horizonte, apenas passamos para desembarcar e embarcar de volta ao Ceará.

Este ano resolvemos voltar a Minas porém para fazer um passeio mais longo e com pretensão de conhecer mais outras cidades.

Nossa jornada se inicia por Belo Horizonte. E hoje, 30 de dezembro, foi oficialmente nosso primeiro dia batendo pernas pela capital mineira. O primeiro local que resolvemos conhecer foi o Mercado Central.

Os mercados das cidades em geral são os melhores locais para se conhecer um pouco mais da vida cotidiana dos habitantes daquele lugar. E o Mercado Central de Belo Horizonte é um desses. O lugar é uma grande confusão de aromas, de cores, de sons, enfim, de gente!!!! Gente para todo lado!!! Gente de todo o tipo.

Passamos a manhã toda batendo perna pelo Mercado Central de BH. Não foi aquele passeio apressado. Não. Foi um passeio para realmente sentir o local. E não faltaram experiências sensoriais. Uma degustação aqui, outra ali. Uma provinha aqui e outra acolá e assim fomos aos poucos comprando vários produtos locais. Experiências culinárias devem fazer parte do dia a dia de qualquer viajante que realmente deseja transformar sua viagem em uma experiência enriquecedora.

Após o Mercado Central nosso destino foi o complexo arquitetônico da Lagoa da Pampulha. Infelizmente acabou chovendo um pouco e parte do passeio foi esperando a chuva passar. Além do mais a Igreja de São Francisco, um dos principais pontos desse complexo estava fechada pois está passando por reformas.

Seguimos em direção do Mineirinho, onde estava acontecendo uma animada feira, que me parece ser o programa de todo o domingo naquele lugar. Vimos também o Mineirão, palco do inesquecível 7 x 1…

Finalizamos nosso dia na Praça da Liberdade, onde passamos um bom tempo sentados num banco e apenas e tão somente contemplando a vida que passava por nós. Crianças, idosos, casais de namorados, músicos que tentavam ganhar algum trocado e vendedores ambulantes… Enfim, um típico cenário que é possível encontrar em qualquer praça por este mundo afora.

Mas os finalmentes mesmo do dia foi no Centro Cultural do Banco do Brasil de BH onde estava acontecendo uma exposição coletiva deveras interessante.

Abaixo algumas fotos do dia!!