[ O Brasileiro Médio ]

Desde muito antes das eleições de 2018 que tenho a impressão, baseado naquilo que leio e ouço nas minhas bolhas, dentro e fora do mundinho Facebookeano, que por mais que estejam sendo feitos estudos sobre nossa sociedade ainda falta muito para uma melhor compreensão de uma entidade chamada brasileiro médio.

O brasileiro médio não é bem letrado, possui dificuldades para formular boas compreensões textuais e também do mundo que lhe cerca. Além do mais, o brasileiro médio não tem lá grandes ambições. Para ele, ter um trabalho digno, que lhe proporcione algum conforto, uns momentos de lazer, a possibilidade de algum patrimônio, como uma casa, que nem precisa ser tão grande e um veículo, um meio de transporte motorizado, bem como outros mimos que o mundo do consumo pode proporcionar, como por exemplo um smartphone bacana. Ah… E o brasileiro médio deseja ter sossego e uma tranquilidade mínima.

Mas não… O que mais vejo é que tem muito, mas muito estudo e muita gente confundindo repetida e exaustivamente desejos com análises. É preciso que a moçada se descole dessa tendência. Há excesso de idealizações. A turma tem se dedicado mais em formular teorias para uma realidade que deveria ser (portanto desejos) e deixado pra lá, como diria o Anjo Pornográfico, a vida como ela é.

E aí não faltam pessoas ainda chocadas com o resultado das eleições de 2018 e se perguntando como chegamos até esse quadro. Quem sabe se o brasileiro médio já tivesse sido melhor compreendido e menos desejo tivesse sido confundindo com análise os resultados de 2018 teriam sido diferentes.

Por enquanto, vamos seguindo nessa de esperar resultados diferentes mesmo agindo sempre do mesmo modo…

[ A Novidade Carnavalesca de 2019 ]

Vagando pelas fotos que mostram a folia momina pelos quatro cantos deste país chamado Brasil notei a onipresença das plaquinhas penduradas nos pescoços dos súditos de Momo e várias delas, a meu ver, funcionam como legendas explicativas da fantasia usada.

Fiquei pensando se é um sinal dos tempos.

Aqui na FaceCaverna vira e mexe me pego tendo que explicar o que um post meu realmente quis dizer. Penso até que isso seja em virtude de alguma deficiência na aquisição da capacidade de interpretar textos. O famoso analfabetismo funcional.

Mas o que isso tem a ver com as plaquinhas-legenda de fantasias?!?

Acho (e se acho não tenho muita certeza) que o analfabetismo funcional chegou até aos foliões de Carnaval que agora precisam explicar suas fantasias!

Mas aí vem outra questão: será necessário mesmo explicar fantasia de Carnaval?!

🤔😲

[ Aos Fiscais do Voto Alheio ]

Não exijam de mim qualquer posicionamento mais entusiasmado neste segundo turno.

Este cenário que se desenhou, a meu ver, foi o segundo pior. O primeiro teria sido o Indigitado ter fechado a fatura logo no 1o turno.

Meu estado de espírito é de grande pessimismo e desânimo não somente pelo que está por vir no curto prazo como também com o que virá no médio e longo. Só pra vocês terem uma ideia do tenebroso futuro, o PSL é hoje a segunda maior bancada da Câmara de Deputados com 52 eleitos.

Em 28 de outubro irei votar motivado não pela esperança, não pela alegria. Irei votar coagido, forçado a votar em um candidato menos ruim, impedido de votar no candidato que para mim tinha melhores condições de começar a diminuir essa divisão idiota e boba que estamos vivendo há algum tempo. Votarei chantageado.

Sim, meus amigos, as eleições perderam totalmente a graça pra mim. Os memes que surgirem a partir de agora não terão o mesmo efeito cômico.

E não adianta vir com essa lorota de “a esperança vai vencer o medo”. A minha esperança morreu, ela não é a última que morre, é de fato a única que morre.

Já disse e repetirei enquanto for preciso, eleições são condições necessárias para toda e qualquer democracia. Porém, não são e jamais serão condições suficientes para a existência da democracia. Quem acredita que democracia se resume a vencer eleições está redondamente enganado. Há muito mais coisas envolvidas.

E seja lá quem vencer em 28 de outubro, faço minhas as palavras do Mestre Yoda: “Vitória? Vitória, você diz? Mestre Obi-Wan, não vitória. O manto do lado sombrio caiu sobre nós”.

Peço aos amigos que se engajarão em tentar eleger seu candidato de preferência, seja ele qual for, que respeitem essa minha decisão.

A partir de agora vou deixar o parquinho das eleições. Não tem mais graça a brincadeira…

😭

[ Sobre a Besteira da Vez ]

Tem muita besteira na Caverna do Facebook.

Tem umas besteiras que são mais bestas que outras.

E não sei quem é mais besta:

– Quem insiste propagar a besteira.

– Quem se dá ao trabalho de comentar a besteira (como este que vos escreve este textinho).

Mas enfim… Este textinho é sobre a besteira da vez na minha bolha facebookeana: a quantidade de páginas lidas diariamente pelo ex-presidente que está preso.

Não sei porque tanta admiração por conta da quantidade de páginas lidas diariamente pelo ex-presidente. Ora, na condição dele talvez este seja a melhor maneira de passar o tempo. Eu no lugar dele faria o mesmo!!!

Porém há uma outra perspectiva a ser observada. Ler é apenas o início de um processo. Ler, de certa forma, é um ato puramente mecânico, até máquinas lêem!!!

O próximo passo do processo, e na minha opinião o mais importante, é a compreensão do que foi lido.

Ler por ler qualquer ser humano devidamente alfabetizado é capaz de fazer. Ainda que sejam lidas dezenas ou centenas de páginas por dia, se não houver compreensão do que foi lido esse ato não tem lá tanto mérito assim.

Bom, se dessas leituras do ex-presidente surgirem resenhas, resumos críticos ou até artigos escritos por ele, aí sim é algo que merece a nossa atenção. Uma vez que essas peças textuais seriam fruto da própria mente do ex-presidente e resultado das suas leituras.

Enfim… Vamos aguardar agora qual será a próxima besteira que nos ocuparemos na nossa vida facebookeana!!!

[ O ano de nascimento do Brasil ]

É comum ler aqui no Facebook e fora dele ouvir muitos dizerem que o Brasil, o nosso país, começou em 1500 quando Cabral foi encontrado pelos índios, perdido, achando que estava – segundo as fontes oficiais – indo para as Índias!!!

Porém, de uns tempos pra cá passei a rever, pelo menos para mim mesmo, sem nenhuma pretensão de querer mudar a opinião de ninguém ou mesmo os entendimentos históricos, que o nascimento da nossa nação se deu mesmo a partir de 1822, ano em que foi proclamada a nossa independência!!!

E por que passei a pensar assim???

Simples, até 1822 o Brasil não existia enquanto país. Era mais uma das colônias portuguesas. Mas a partir de 1822 a nação brasileira deixava de ser uma colônia portuguesa.

Tá certo que nascíamos como país meio que de forma um tanto torta (ou seria à fórceps??!!), já que ao contrário de muitos outros países que quando se declararam independentes já se tornaram repúblicas, ou seja, nós aqui ainda ficamos sendo reinado até 1889.

Assim, esse meu pensamento reforça a ideia de que somos mesmo uma nação jovem, que ainda temos muita história ainda para ser construída. E isso também serviu para me dar um certo consolo quando vejo muitos altamente indignados com as coisas ruins que acontecem por aqui e que muito nos envergonham. Calma pessoal, ainda somos uma nação jovem!!!! Não temos sequer 200 anos de história!!

Também já me conformei que até partir desta existência (segundo o IBGE deverei fazer isso com pouco mais de 75 anos!!!) ainda irei me escandalizar muito com as coisas que acontecem com toda e qualquer jovem nação em processo de crescimento e amadurecimento!!!

😉

[ Meditação acerca das prioridades em nosso país ]

O texto abaixo foi originalmente publicado em minha página no Facebook em 03 de abril de 2012. Relendo-o percebi que mesmo depois de cinco anos ele ainda continua atual.

Li em algum lugar que prioridade quer dizer: “Significa eleger o que vem em primeiro lugar, ou seja, o que mais importa para nós”.

Quero começar minha meditação tendo como fundamentação da mesma o significado da palavra PRIORIDADE. É muito importante que saibamos o que significam as palavras. Até parece que nos dias de hoje isso passou a não ser mais importante e o que mais vemos é a banalização de muitas palavras. Gente usa termos a torto e à direito, pensando que está dizendo algo, mas na verdade nada diz. Mas isso é tema para outra meditação…

Se prioridade é “eleger o que vem em primeiro lugar, ou seja, o que mais importa para nós”, pergunto: Qual é a prioridade de nosso povo? O que é prioritário para uma população como a nossa?

Esta meditação também foi motivada por um debate promovido pelo meu amigo Allysson Rister quando o mesmo intrigado perguntava afinal o que queria o povo do Ceará, haja visto que meu citado amigo observava que há muita resistência por parte de muitas pessoas a certos projetos do Governo do Estado, como por exemplo, o VLT de Sobral e o Acquario do Ceará.

Lendo os comentários que se seguiram (que infelizmente debandaram-se para o partidarismo e por conta disso o debate acabou virando discussão… Infelizmente, pois tinha tudo para ser um proveitoso debate de ideias…) me veio a mente as indagações acima citadas.

E aí continuei a meditar…

Será que não seria o melhor dos mundos, se nessa nossa Pátria de Chuteiras, primeiro resolvêssemos os problemas básicos de nossa população, que no meu entendimento (não sou especialista nem muito menos tenho estudos científicos para sustentarem minha tese, apenas estou colocando minhas observações feitas tanto em Sobral, como vendo através dos meios de comunicação) são:

  • Serviço de saúde pública e gratuita de boa qualidade;
  • Educação pública e gratuita de boa qualidade;
  • Segurança pública que realmente nos faça sentirmo-nos seguros;
  • Emprego digno para as pessoas, em especial para aqueles que tanto almejam entrar no mercado de trabalho.

Pronto, eis o que entendo que sejam as prioridades para a grande maioria da população desse imenso país chamado Brasil, e mais precisamente para a população desse Estado chamado Ceará e porque não dizer para essa cidade boa chamada Sobral!

Penso (e logo existo, como diria o filósofo) que se estas prioridades fossem tratadas como devem ser, que o poder público prioritariamente buscasse resolver essas questões, outros projetos como aqueles citados acima poderiam ter maior aceitação por parte da população.

Ainda em meus pensamentos passou o seguinte: “Como será que se sente uma pessoa que não pode contar com saúde pública gratuita e de boa qualidade para tratar-se, sem um sistema educacional público e gratúito de boa qualidade que realmente promova a educação de forma libertadora, como formação cidadã e não somente técnica, diante de um sistema de segurança pública que não atende as demandas e ainda tem a angustiante situação de não saber se terá emprego para si ou para os filhos, quando se depara com notícias de investimentos milionários (ou até mesmo bilionários) em estádios, e outros equipamentos para o entretenimento?”

Ou será que estou sendo pessimista demais em minha meditação? Será que já temos muito do que necessitamos prioritariamente e realmente é chegada a hora de pensarmos mesmo no futebol e outras coisas mais?

Será que minha visão está mesmo pequena, pois como diz a música, “a gente não quer só comida… a gente quer comida, diversão e arte”?!

Não estou querendo aqui dizer que sou contra diversão e arte, longe de mim dizer isso. Sei que o homem, como ser plural que é precisa mesmo de tudo isso.

A minha meditação também não é dirigida a partidos e partidários, mas somente às questões que ora entendemos como prioritárias!

Chega a ser cômico ter que explicar meu pensamento, mas outra constatação que tenho feito ultimamente é que o número de pessoas que entendem os códigos sintáticos (letras, palavras e construções frasais) mas não compreendem a semântica dos códigos (leem mas não entendem o que leram) está cada vez maior. Será preguiça de pensar? Isso também é assunto para outra meditação….

[ Dilema ]

O julgamento da chapa Dilma/Temer pelo TSE deverá iniciar semana que vem.

Esta será uma oportunidade para que o “Fora Temer” se concretize.

 

Porém se o “Fora Temer” se realizar através dessas vias, Dilma será também condenada pelo TSE.

 

E o dilema é justamente esse:

 

Se a chapa Dilma/Temer for condenada então o “Fora Temer” se realiza e Dilma será jogada aos leões.

 

Senão se a chapa Dilma/Temer for absolvida então o “Fora Temer” não se realiza e Dilma não será atirada às feras.