[ Análises versus Desejos ]

É uma tarefa bem difícil separar nossos desejos de nossa análises.

Muitas vezes, numa análise dos fatos do cotidiano, ao invés de tentarmos enxergar aquilo que não está óbvio, que está mesmo escondido nas entrelinhas, ficamos a procurar por aquilo que queremos ver. É quando desejos se confundem com análises.

O grande mal desse procedimento é a análise corre sério risco de ficar enviesada, contaminada por aquilo que desejamos encontrar o que pode nos levar a ignorar qualquer evidência em contrário. Ou seja, se me deparo com uma evidência que não vai de encontro ao meu desejo, já a descarto.

Superar o desejo de encontrar nos dados e análises aquilo que entendo como sendo o ideal de realidade é um desafio grande pois isso acaba mexendo com nossas crenças, com aquilo que acreditamos ser a realidade. É quando “Narciso acha feio o que não é espelho”.

Em muitas ocasiões, fazemos nossas análises doa fatos cotidianos apenas para validar nossas crenças. E quando não encontramos essa validações tendemos a acreditar que há algo de errado com a realidade pois ela não está condizendo com o que entendemos ser o real. E aí, haja ficarmos frustrados, choramingando porque o Universo não está nem aí pra nossos desejos.

😉

[ Desejos de Ano Novo ]

 Que parem de compartilhar e acreditar em fake news. Principalmente quando as fake news dão sustentação às suas ideologias.

– Mais amor e menos presunção de que sabe tudo, de que sempre está do lado certo da história

– Mais amor e menos Salvadores da Pátria cheios de conversas, prometendo resolver todos os problemas.

– Mais amor e menos bodes expiatórios para culparmos por NOSSOS erros

– Mais amor e melhores interpretações de texto.

– Mais amor e menos pensamentos binários! A vida é muito mais que direita x esquerda, nós  x eles.

– Mais amor e mais coerência entre os discursos e as práticas.

Que haja no mundo menos puxa-sacos, bajuladores, massageadores de ego e afins!!!

Que as pessoas comuns parem de idolatrar aqueles que são autoridades públicas, sejam do Poder Executivo, Legislativo ou Judiciário, seja de qualquer nível!!

– Que as pessoas leiam mais!!!!

Há de se fazer algumas considerações aqui:

1. A leitura a que me refiro não se limita a decodificação de letras e palavras. A leitura que desejo vai muito além disso. Ela engloba compreensão do que se leu.

2. Ler não somente o que está devidamente escrito, explícito mas também procurar ler o que está nas entrelinhas ou até mesmo em contextos mais subjetivos. Ir mais a fundo na leitura!

3. Ler a realidade a sua volta. Fazer uma leitura crítica do mundo que o cerca. Ler as mensagens que são passadas através das ações (e também das não ações) de diversos entes.