[ Aos Fiscais do Voto Alheio ]

Não exijam de mim qualquer posicionamento mais entusiasmado neste segundo turno.

Este cenário que se desenhou, a meu ver, foi o segundo pior. O primeiro teria sido o Indigitado ter fechado a fatura logo no 1o turno.

Meu estado de espírito é de grande pessimismo e desânimo não somente pelo que está por vir no curto prazo como também com o que virá no médio e longo. Só pra vocês terem uma ideia do tenebroso futuro, o PSL é hoje a segunda maior bancada da Câmara de Deputados com 52 eleitos.

Em 28 de outubro irei votar motivado não pela esperança, não pela alegria. Irei votar coagido, forçado a votar em um candidato menos ruim, impedido de votar no candidato que para mim tinha melhores condições de começar a diminuir essa divisão idiota e boba que estamos vivendo há algum tempo. Votarei chantageado.

Sim, meus amigos, as eleições perderam totalmente a graça pra mim. Os memes que surgirem a partir de agora não terão o mesmo efeito cômico.

E não adianta vir com essa lorota de “a esperança vai vencer o medo”. A minha esperança morreu, ela não é a última que morre, é de fato a única que morre.

Já disse e repetirei enquanto for preciso, eleições são condições necessárias para toda e qualquer democracia. Porém, não são e jamais serão condições suficientes para a existência da democracia. Quem acredita que democracia se resume a vencer eleições está redondamente enganado. Há muito mais coisas envolvidas.

E seja lá quem vencer em 28 de outubro, faço minhas as palavras do Mestre Yoda: “Vitória? Vitória, você diz? Mestre Obi-Wan, não vitória. O manto do lado sombrio caiu sobre nós”.

Peço aos amigos que se engajarão em tentar eleger seu candidato de preferência, seja ele qual for, que respeitem essa minha decisão.

A partir de agora vou deixar o parquinho das eleições. Não tem mais graça a brincadeira…

😭

[ Ingenuidade ou Muita Fé?? ]


Sempre me chamou a atenção as defesas apaixonadas que muitos fazem de diversos políticos ou homens públicos.

Chega a ser quase um credo!

Beira a devoção!!!

É comum ouvir e ler coisas do tipo:

“Não!!! Ele é incapaz de fazer isso!”

“Ele é muito honesto! Jamais em hipótese alguma procederia dessa maneira!!”

E a melhor de todas:

“Eu ponho a minha mão no fogo por ele!!! Ele jamais estaria envolvido em coisas dessa natureza! É um homem de bem!!!”

Por isso que abro esse post indagando: ingenuidade ou muita fé?!

P.S.: as frases entre aspas estão no masculino mas podem se referir tanto a homens quanto a mulheres. É bom avisar antes que a moçada que enxerga o que não está escrito começar a bradar!!!

[ Eleições… Eleições… ]

Eleger alguém não é lá tão complicado assim. Se o candidato conta com:

1. Um forte padrinho que cole a sua imagem à do ungido fazendo com que a maioria do eleitorado passe a crer que o escolhido será uma espécie de “reencarnação” política do padrinho logo logo o eleitorado mediano passa a ter a idéia de que o eleito é a mesma coisa que o padrinho.

2. Uma boa equipe de marketing que produza excelentes peças publicitárias que sejam capazes de fazer com que alguém por mais desconhecido que seja do grande público se tornar uma verdadeira celebridade política. E como boa parte do eleitorado não se dará ao trabalho de checar as informações e grandes feitos que são atribuídos ao candidato fica mais fácil ainda criar uma imagem positiva. A Civilização do Espetáculo adora um espetáculo midiático!!

3. Um grande número de militantes que atuem tanto no mundo real como no virtual que tenham como missão tanto reforçar a imagem (ou seria produto?!) criada pela equipe de marketing bem como desconstruir todo e qualquer adversário que represente alguma ameaça ao projeto de eleger o ungido. E aí vale tudo! Esse pessoal é responsável por fazer boa parte do jogo sujo e baixo afinal de contas os grandes, os caciques não devem se envolver com esse tipo de ação já que precisam passar uma boa imagem (imagem é tudo!). Sem falar que nunca se sabe quando é que vai se aliar com aquele que hoje é inimigo mortal.

4. Um bom grupo de empresas financiadoras da campanha. Esse ponto é fundamental pois alguém precisa pagar a equipe de marketing, bem como muitas outras despesas de campanha e até alguma militância profissional. Os entes financiadores na verdade não fazem doações mas sim investimentos já que uma vez que o ungido seja eleito ele irá “retribuir” as doações na forma de generosos contratos. E assim temos a releitura de um ditado popular bastante conhecido: “Dize-me quem te financia que te direi quem és”.

Junte esses quatro elementos e dificilmente se perde uma eleição nessa pátria mãe gentil!

[ Eleitor Apaixonado Não É Igual a Torcedor Apaixonado ]

Pessoas, sinceramente, considero uma tremenda injustiça para com o futebol e seus entusiastas quando alguém diz que eleitor apaixonado por político de devoção é igual ao torcedor apaixonado por seu time do coração.

O torcedor apaixonado, por mais apaixonado que seja pelo time, na maioria das vezes consegue reconhecer quando o time vai mal, quando o time não fez uma boa partida e, principalmente, reconhece quando o time precisa mudar. E mais… O torcedor apaixonado fica puto com o time e cobra mudança de postura!

Agora vamos ao eleitor apaixonado. Este é incapaz de reconhecer as falhas de seu objeto de adoração. O eleitor apaixonado mesmo quando reconhece as merdas que seu político de estimação faz prefere sofrer calado e chorar dentro do banheiro. Criticar o objeto de adoração em público é quase uma blasfêmia. Ele acaba catalisando a ira dos demais apaixonados e até poderá ser considerado um herege.

Enfim, não comparemos mais estas duas categorias!!! O apaixonado pelo futebol é superior ao eleitor apaixonado!!!
😉

[ Mistificar ]

Pessoas… Cês já se deram conta de que nós, em geral, somos fissurados em mistificar as coisas?!?!

Seguinte… Isso deve ser algo bem ancestral, coisa do tempo em que vivíamos pelas savanas africanas, tentando todo dia sobreviver. Nossos ancestrais muito provavelmente tentavam entender o mundo ao seu redor através da criação de figuras idealizadas, que só existiam em sua imaginação.

Bem… Com o passar do tempo, penso eu, isso foi evoluindo, surgiram as mitologias, os deuses e tudo o mais.

Acontece que sinto que exegeramos e hoje em dia criamos mistificações com seres de carne e osso, como nós, e que são tão ou mais imperfeitos que nós!!!

Seguinte… Não falta ao imaginário do eleitorado médio a figura de um político ou grupo político que salvará a todos e resolverá senão todos mas pelo menos boa parte de toda essa bagunça em que estamos metidos!!!

Caras… Isso é ingênuo demais!!!

E nessas eleições, seja à direita seja à esquerda, estamos cercados de seres mistificados por nós mesmos, com soluções para tudo. E seus fiéis devotos são incapazes de reconhecer sua humanidade e por consequente suas limitações e falhas.

[ Aos Poucos Eles Vão Surgindo ]

Quanto mais vai se aproximando o período eleitoral mais surge uns espécimes que ficam em estado de hibernação entre cada eleição.

Esses indivíduos são os adoradores de candidatos!!!

O típico adorador de candidato sempre tem uma justificativa para qualquer ato, fala ou comportamento do seu objeto de adoração.

Não importa a cagada que o candidato faça, o adorador sempre conseguirá pollyanescamente fazer o jogo do contente e encontrar algo positivo feito pelo candidato.

O adorador de candidato tem como uma de suas obrigações ficar nas redes sociais comprando briga com quem fala mal de seu candidato. Ninguém, mas ninguém mesmo pode falar mal do seu candidato.

Em geral, os adoradores de candidatos costumam agir em grupos (ou seriam bandos?).

Na maioria das vezes, o candidato não faz a mínima ideia da existência dos seus adoradores. Mas ele tem plena consciência que estas entidades existem. Eles sabem que há gente que se presta a qualquer papel neste mundo.

Um típico adorador de candidato é incapaz de tecer uma crítica ao seu objeto de adoração. É bem provável que em seu íntimo o adorador até faça algumas colocações mas ele jamais irá externar esses sentimentos. Seria verdadeira traição proceder assim. Além do mais, criticar o candidato é fazer o jogo dos adversários, ou melhor falando, daqueles que não estão do lado do bem.

Sim… Para um típico adorador de candidato que não está do lado do seu candidato faz parte das forças do mal e de tudo quanto é negativo.

Mas sabe… É divertido observar os adoradores de candidatos!!! Eles são uma das partes mais cômicas do processo eleitoral!!!!

Vida longa aos adoradores de candidatos!!!

[ Como Impressionar o Eleitorado Mediano ]

Fale difícil para dar a impressão de que você é um gênio.

Vomite estatísticas e números misteriosos.

Cite personagens populares (vale até O Pequeno Príncipe).

Não tenha receio de mentir (afinal de contas, o eleitorado em geral não se dá ao trabalho de checar mesmo).

Não poupe nas bravatas!!! As bravatas quando bem conduzidas iludem até o eleitor mais politizado.

Escolha alguns inimigos para encarnar o “lado do mal”. O mal precisa de rostos senão o eleitorado não é convencido.

E por fim, apresente ideias bem populistas mas dê aquela maquiada legal para que elas aparentem não ser.