[ Pensamentos inconscientes, ou não, que surgem no Dia dos Pais na ZuckerNet ]

Assim como no Dia das Mães e no Dia dos Namorados, o Dia dos Pais é um dia de descobertas no mundo facebookeano!!

E ao ver as fotos dos pais de muitos surgem, na mente de muitos e na minha, pensamentos que dificilmente serão revelados, tais como:

“Valhamecristo!!! Como o pai de Sicrano(a) é feio!!! E Sicrano(a) é tão bonito(a)… Será que ele é o pai mesmo??”

“Chagasabertascoracaoferido!!! O pai de Beltrano é muito novo!!! Aposto como a mãe de Beltrano casou grávida!!”

“Afemariatreisveis!! Fulano já tem essa ruma de filho???!!”

E por aí vão as descobertas do Dia dos Pais na ZuckerNet!!! 😉

[ Uma questão de escolha primeiramente ]

Certa vez vi um comentário de um amigo da ZuckerNet onde se lia: “escolhemos no que acreditar”.

A proposição é bastante simples e também, creio, não necessita de muito esforço intelectual para verificar a sua validade. Afinal de contas, para crer em algo é preciso antes de mais nada fazer uma escolha.

Essa proposição nos leva a uns questionamentos: o que pauta a nossa escolha?! Por que escolhemos acreditar em umas coisas e não acreditar em outras?!

[ Grande Poder de Destruição ]

Um post mal interpretado é o suficiente para destruir, em questão de minutos, todo um conjunto de ações boas que alguém um dia praticou.

Os Inquisidores das Redes Sociais não estão nem aí para o fato de que alguém pode errar.

Os Inquisidores das Redes Sociais não reconhecem a palavra perdão.

Os Inquisidores das Redes Sociais acreditam piamente que o certo é eliminar o pecador para varrer da face da Terra o pecado.

Os Inquisidores das Redes Sociais possuem profunda crença na infalibilidade de seus atos e na pureza de intenções dos mesmos.

Os Inquisidores das Redes Sociais se vêem como a reserva moral do mundo, os detentores do monopólio das virtudes. 😌

[ Adjetivar ]

De uns tempos pra cá, na Caverna do Facebook, muitos dos seus habitantes se dedicam à exaustão a este novo “esporte”.

Para adjetivar alguém basta ver quais são suas preferências, sejam elas musicais, literárias, filosóficas, artísticas ou políticas.

Uma vez identificadas as preferências do “alvo” passa-se à adjetivação.

Se as preferências combinam com as do adjetivador então o “alvo” recebe adjetivos positivos: bacana, legal, cool, descolado, progressista, moderno, atual, cult, me representa… E mais uma penca de outros tantos…

Se as preferências não combinam… Aí já viu… O “alvo” recebe uma saraivada de adjetivos pouco elogiosos e simpáticos: fascista, reacionário, retrógrado, nazista, possuidor de péssimo gosto musical (não consigo lembrar de um adjetivo para isso), manipulado, idiota, estúpido, petralha, coxinha, et cetera e tal…

O pior da adjetivação é que uma vez feita encerra-se ali qualquer possibilidade de um debate de ideias que poderia vir a ser bastante proveitoso para ambos, adjetivador e adjetivado.

É… Pelo visto vivemos em uma época em que o exercício da reflexão, do pensar, vem sendo paulatinamente substituído pelo da pura, simples e rasteira adjetivação…

[ Pessoas que Admiro ]

Aquelas que antes de comentar e/ou compartilhar uma notícia realizam as seguintes ações:

1. Clicam no link para abrir a notícia.

2. Verificam a data da notícia.

3. Verificam a fonte da notícia.

4. Leem atentamente TODO o texto, do início ao fim. E se não entenderem algo, releem até compreender bem.

5. Pensam se vale a pena compartilhar e/ou comentar, ou seja, se não estará apenas contribuindo para disseminar lixo na timeline dos outros.

😌

[ Facebook: Definições ]

Huuuuummm

Eis uma boa definição para o Facebook em muitas situações:

“Ferramenta altamente eficiente para a destruição de reputações e disseminação de mentiras”.

Porém o Facebook ou seja lá qual for a rede social não é a verdadeira culpada. Os verdadeiros culpados são as pessoas que fazem uso dessa ferramenta para tal!!

É semelhante aquela história que diz que armas não matam as pessoas. São as pessoas que matam umas as outras já que a arma precisa de uma pessoa para ser utilizada.

Assim sendo, não é o Facebook quem destrói reputações e espalha mentiras mas sim as pessoas que o utilizam para essa finalidade!!

😉

P.S.: este texto foi originalmente publicado em minha página no Facebook, em 24 de junho de 2014.

[ Mais uma data de descobertas!!! ]

O Dia dos Namorados é mais uma daquelas datas que fazemos descobertas mil entre os participantes da ZuckerNet!!!

Vamos descobrir os(as) namorados(as) de um sem número de conhecidos!! Vale também para maridos e esposas!!!

Também vamos descobrir que vários já não mais namoram com a mesma pessoa do ano passado!!

Ah!!! Também tem aqueles(as) que finalmente encontraram sua alma gêmea!!! Alguns até dirão: “Olha aí!!!! Finalmente achou a tampa da sua panela!!!”

E por fim descobriremos que tem uma ruma de gente solteira mas que faz questão de deixar transparecer que “está solteira mas não está sozinha” dentre outras justificativas!!!

🙂