[ Por que Amamos o Facebook? ]

1. Nele nosso ego vive sendo massageado.

2. Se dizemos que estamos tristes em pouco tempo surgem inúmeras mensagens para melhorar nosso astral. Conforto psicológico não falta.

3. Quando xingarmos alguém não faltarão pessoas que desejavam fazer o mesmo e estas juntam-se a nós num imenso coro de xingadores.

4. Quando reclamamos de algo sempre surge uma legião de reclamadores com a mesma queixa. Assim nossa sensação de pertencimento a um grupo cresce mais ainda.

5. Por mais insana, sem noção e louca que seja uma ideia que defendemos haverá pelo menos uma pessoa, na pior das hipóteses, que concordará conosco e dessa forma não nos sentimos sós, pregando no deserto.

6. Há soluções para praticamente todos os problemas. Com uma quantidade imensa de especialistas em tudo em quanto dificilmente um problema fica sem solução no Facebook.

7. Há certezas sem fim no Facebook. Nossas certezas geralmente encontram muitos outros que compartilham as mesmas. E quanto mais gente tiver as mesmas certezas mais convencidos ficamos de que estamos certos ou do tal lado certo da história.

8. Quando estamos nos sentindo carentes e sem a atenção dos demais, basta postar algo polêmico no Facebook que em dois tempos somos notados, seja por quem concorda com a nossa opinião polêmica seja por quem é contra. Afinal de contas, “Posto, logo existo!”.

9. É no Facebook que nos damos conta do quanto somos bons, politizados, esclarecidos, atualizados, cultos, não alienados, dentre tantos outros adjetivos elogiosos. Quando nos damos conta disso sempre lembramos dos versos da canção que diz: “É que Narciso acha feio o que não é espelho”.

É por essas e outras que não somente o Facebook mas muitas outras redes sociais são tão amadas por nós.

😉

[ Sobre “Se Achar” Demais ]

“Fulano se acha!!” Eis uma expressão bem típica da nossa gente.

Pensando a respeito da mesma e sobre sua utilização me veio uma constatação: quem muito se acha acaba se perdendo. Se perdendo em uma autoimagem exageradamente positiva.

Quem “se acha”, parte de uma imaginação que faz de si. Ou seja, a pessoa constroi uma ideia dela mesma e passa a acreditar nisso.

Numa dosagem moderada é possível dizer que “se achar” é apenas autoestima. Mas quando a dose é exagerada, aí vira narcisismo.

Portanto, se achar demais pode nos levar a ficarmos totalmente perdidos. 😌